Christigau doutrina que, ao escrever sobre música, o mais importante é falar do que você gosta naquilo tudo. E, mesmo assim, aposto que muita gente daria um tapa na minha cara se eu dissesse que o que eu mais curto em “Eve of a New Moon” é a volta do sax. Vai entender, hein.